Quarta-feira, 14 de Outubro de 2015

Duzentos jovens sobem ao palco para apresentar espetáculos na Mostra Conexões de Teatro

Nesta 9ª edição, estudantes, entre 12 e 19 anos, encenarão textos inéditos dos autores Dib Carneiro Neto, Marcelo Romagnoli, Stef Smith e Dennis Kelly

Após um ano de intensa programação, com leitura de textos, workshop e ensaios, os 200 jovens participantes do Projeto Conexões de Teatro Jovem (www.conexoes.org.br) estão prontos para encenar peças inéditas de autores renomados no Brasil e no exterior. De 16 de outubro a 1º de novembro, com entrada franca (programação anexa), estudantes, entre 12 e 19 anos, de grupos de escolas públicas, particulares e independentes ligados a ONGs, apresentam-se no Teatro Cultura Inglesa – Pinheiros. O Projeto é a versão nacional do consagrado Connections do National Theatre de Londres/Inglaterra. 

Todos os anos, autores nacionais e internacionais são convidados a escrever peças especialmente para o Projeto. Este ano, os autores brasileiros são o jornalista Dib Carneiro Neto, ganhador do Prêmio Shell de melhor dramaturgo (Salmo 91’/2007), com o texto Meu adulto favorito?; e Marcelo Romagnoli, premiado e reconhecido nome da dramaturgia infanto-juvenil, diretor da Banda Mirim, com o texto Filosofia da Revolução.

Os dramaturgos internacionais são Stef Smith, mais conhecida pelo texto RoadKill (Festival de Edimburgo de 2010, 2011), sucesso de crítica e de público, ganhadora, entre outros, do prêmio Laurence Olivier. Para o Projeto Conexões, Stef escreveu Remoto. E o autor Dennis Kelly, premiado com quatro Tonys e sete Oliviers e considerado o melhor dramaturgo não germânico pela revista alemã Theater Heute. Escreveu para o Conexões DNA.

As peças são encenadas por jovens e para jovens. Os participantes do Projeto integram 13 grupos, que foram selecionados em abril deste ano, e passaram por um intenso processo de aprendizagem ao longo do ano: Cultura Inglesa, Colégio São Luís, E.E. Dr. Baeta Neves, Ten Sing ACM Osasco, Escola Superior de Artes Célia Helena, Coletivo Apoena, Grupo Canalhas, Tô em Outra Cia. de Teatro, Cia. Vizinho Legal, Fundação das Artes de São Caetano do Sul, Conservatório de Tatuí, Núcleo Acalanto de Teatro - Colégio Eduardo Gomes e Coletivo Anônimo de Atuadores.

Nessas nove edições, cerca de dois mil jovens já participaram do Projeto Conexões de Teatro Jovem no Brasil. Em 2016, o Projeto completa 10 anos no Brasil e 21 anos em Londres. “No ano que vem, teremos ações comemorativas de interação entre jovens de países diferentes. O Conexões é um projeto com formato único, que alia teatro e educação e tem o objetivo de fomentar e contribuir para o movimento crítico de teatro jovem, abrir espaço no segmento e formar novos grupos”, ressalta o diretor do grupo teatral do Colégio São Luís e um dos coordenadores do projeto, Tuna Serzedello.

"Há nove anos o Conexões proporciona encontros muito potentes e transformadores entre jovens estudantes, educadores e profissionais de teatro, conectando pessoas por meio de uma rede de conteúdo e expressividade que busca sempre dar voz ao jovem e seus questionamentos", pontua Laerte Mello, gerente cultural da Cultura Inglesa São Paulo. 

Fórum e livro -- No dia 28 de outubro será realizado o Fórum dos grupos, um debate sobre teatro jovem com alunos e a presença dos autores Marcelo Romagnoli e Dib Carneiro Neto. Na oportunidade. haverá o lançamento do Livro Conexões 2015 – nova dramaturgia para jovens, publicação bilíngue (português-inglês) das quatro peças escritas para o portfólio 2015 e a apresentação dos autores da edição 2016 – os brasileiros Lucienne Guedes e Alexandre Dal Farra, já estão confirmados.

Nas edições do Conexões, os textos são publicados em livro e na web e distribuídos para escolas públicas e bibliotecas municipais. Nesses nove anos já foram produzidos 35 textos inéditos e publicados nove livros. As apresentações atraíram mais de 10 mil espectadores.

"É um prazer para a Escola Superior de Artes Célia Helena Editora Célia Helena comemorar mais essa edição. Lançar um livro por ano com dramaturgia para jovens é uma maneira de contribuir para o fomento e a disseminação da linguagem teatral nas escolas brasileiras", ressalta Léo Pelliciari, gerente de Relações Institucionais da Escola Superior de Artes Célia Helena.

Projeto Conexões – Versão nacional do renomado Connections, do National Theatre de Londres (Inglaterra). No Brasil é resultado da parceria entre Cultura Inglesa São Paulo, British Council Brasil, Colégio São Luís, National Theatre de Londres e Escola Superior de Artes Célia Helena.

Entre os demais autores brasileiros, que já produziram peças para o projeto, estão: Samir Yazbek, Caco Barcellos, Marcelo Rubens Paiva, Noemi Marinho, Luís Alberto de Abreu, Mário Viana, Sérgio Roveri, Bosco Brasil, Jandira Martini, Newton Moreno, Claudia Schapira, Cássio Pires, Paula Pimenta e Leonardo Moreira. Mais informações www.conexoes.org.br. 

"O Conexões é um grande exemplo de sucesso no intercâmbio entre as culturas brasileira e britânica, auxiliando na ampliação de horizontes e na formação para a cidadania.", diz Malu Penna, Assessora de Artes do British Council.

As peças

DNA -- Dennis Kelly -- Se você é adolescente e faz uma coisa errada, mas muito, muito errada, o que é que você deve fazer? Contar aos seus pais? Contar à polícia? Contar a um professor? Não. Você deve fazer exatamente igual aos adultos: encobrir tudo e esperar que ninguém descubra. DNA é sobre um grupo de adolescentes que se une por ter feito uma coisa má. Mas à medida que os acontecimentos evoluem, a solidariedade começa a ruir. 

Filosofia da Revolução – Marcelo Romagnoli -- Comédia dramática jovem que mostra um grupo de amigos vivendo situações de mudanças e transformações internas. A estrutura do texto é como uma roleta, propondo um jogo matemático em 35 cenas curtas que se cruzam e se completam.

Remoto - Stef Smith -- Uma garota sai de casa e atira o celular no chão. Pisa nele com força. Depois sobe na árvore mais alta do parque. Ela não quer ser encontrada por ninguém. As vidas de sete adolescentes se entrelaçam ao longo de uma única tarde, enquanto atravessam o parque em uma noite de agosto aparentemente normal. Remoto é uma peça sobre protesto, poder e como se proteger. 

Meu Adulto Favorito? – Dib Carneiro Neto -- Espetáculo que retrata jovens, entre 13 e 19 anos, que falam sobre as pessoas mais importantes de suas vidas, como se fosse uma lição de casa: escrever uma redação com o tema “Meu adulto preferido”. 

Autores

Dib Carneiro Neto -- Ex-editor do Caderno 2, do jornal O Estado de S.Paulo, função que exerceu por oito anos (até 2/2011). Trabalhou no Estadão por 19 anos e, antes, na Veja São Paulo e na Gazeta de Pinheiros. É hoje um dos mais respeitados críticos de teatro infanto-juvenil do País, função que exerce desde o início dos anos 1990. Atualmente, mantém uma coluna semanal virtual de críticas de teatro infantil no site da revista Crescer. É jurado do Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem (ex-Femsa) e da Associação Paulista de Críticos de Artes - APCA. Há dois anos, tem sido curador do Festival de Artes para Crianças (Registro/SP). Também há três anos é curador de teatro infantil do Circuito Cultural Paulista - CCP e do Edital ProAc de Fomento, Difusão e Circulação de peças infanto-juvenis.

É autor de Salmo 91, peça que ganhou o Prêmio Shell de melhor dramaturgo de 2007 (SP), que já teve montagem em Montevidéu, Uruguai. Em breve, será publicada em inglês (Psalm 91), na revista norte-americana de dramaturgia contemporânea, ‘Theater’, da Yale University. Entre suas demais peças estão Adivinhe quem vem para rezar, com Paulo Autran e Claudio Fontana, apresentada em 21 cidades brasileiras, além de Portugal, Argentina, Paraguai e Chile; Depois daquela viagem e Um réquiem para Antonio. É autor dos livros A hortelã e a folha de uva, Pecinha é a vovozinha, Já somos grandes e Dia de ganhar presente. 

Marcelo Romagnoli - Dramaturgo e diretor, atua nos teatros adulto e infanto-juvenil desde 1994. Formado em Direção Teatral pela ECA/USP e História da Arte pelo Instituto Lorenzo de Médice em Florença-Itália. Desde 1998 escreve regularmente para crianças e jovens. Entre os infantis: A história do soldado (2011), O menino que mordeu Picasso (2012), Terremota (2012), O segredo dos dois Pinóquios (2013, dir. Johana Albuquerque). Desde 2004 escreve e dirige os espetáculos da Banda Mirim: Felizardo (2004), O Menino Teresa (2007), Sapecado (2008), Cabaret 68 (2009), Espoleta (2010), Rádio-show (2011), O Fantasma do som (2013) e Festa (2014). 

No teatro adulto dirigiu, entre outras: Meu filho sem nome, de Izilda Simões (2011) e Atrás do pano, de Luiza Jorge (2012). Entre os prêmios recebidos, destacam-se o da Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA 2012 e Coca-Cola FEMSA (2012) de melhor texto por Terremota; APCA 2010 de Melhor Diretor com o espetáculo Espoleta; APCA 2008 de Melhor Texto e APCA de Melhor Espetáculo, com Sapecado. Prêmio Coca-cola Femsa 2008 de Melhor Texto, com Sapecado. Em 2004, o texto Felizardo ganhou os prêmios APCA de Melhor Espetáculo Musical e FEMSA de Melhor Espetáculo.

Foi professor de teatro na Fatec-SP (1994/98), no Esporte Clube Pinheiros/SP (1994/98) e artista-orientador na Secretaria de Cultura de São Paulo entre 2003/06. Colaborador no suplemento Folhinha do jornal Folha de S.Paulo, em 2010. Tem três livros publicados: A criança mais velha do mundo (Panda Books); Os mundos de Teresa (Cia das Letras) e Sete textos de teatro para crianças e jovens (Secretaria de Cultura de SP). 

Stef Smith -- Estudou Dramaturgia e Artes Cênicas com especialização em Direção na Queen Margaret University de Edimburgo. Desde sua graduação em 2009, trabalha profissionalmente como diretora e autora. Atualmente, é mais conhecida pelo texto do sucesso de crítica e de público RoadKill (Festival de Edimburgo de 2010, 2011), ganhadora de vários prêmios, incluindo Fringe First, Herald Angel e o Amnesty International Freedom of Expression Award (prêmio Liberdade de Expressão da Anistia Internacional). Mais recentemente, a peça ganhou o prêmio Laurence Olivier e viajou em turnê para Londres, Paris, Chicago e Nova York. Stef está associada ao Teatro Nacional da Escócia e, em 2013, fazia parte do programa inaugural National Writers, do Royal Court Theatre, de Londres. 

Dennis Kelly - Autor dos roteiros de mais de 15 peças teatrais, um filme e algumas séries de TV. Já foi premiado com quatro Tonys e sete Oliviers, os principais prêmios do teatro nos EUA e na Grã-Bretanha, respectivamente. Em 2009, foi considerado o melhor dramaturgo não germânico pela revista alemã Theater Heute, e, em 2011, teve um livro com suas quatro primeiras peças publicadas. Suas principais obras, além de DNA são: Osama: The Hero, Love and Money, After the end e Orphans. As suas obras já foram encenadas na Alemanha, Áustria, Suíça, Eslováquia, Holanda, República Checa, Portugal, Itália, Austrália, Japão, Brasil e Estados Unidos.

CONTATO
Para mais informações entre em contato com nossa assessoria de imprensa através do email centro.info@britishcouncil.org.br ou ligue para (11) 2106-7500.

Serviço

O que: 9ª Mostra Conexões de Teatro Jovem – De 16 de outubro a 1º de novembro

Teatro Cultura Inglesa-Pinheiros (rua Deputado Lacerda Franco, 333, Pinheiros)

Duração: Cada espetáculo tem duração aproximada de 60 min

Classificação etária: Remoto, Filosofia da Revolução e DNA – 12 anos

Meu Adulto Favorito? – 14 anos

Ingressos gratuitos (bilheteria abre uma hora antes de cada apresentação)

Mais informações www.conexoes.org.br.

Sobre o British Council

O British Council é a organização internacional sem fins lucrativo do Reino Unido para relações culturais e oportunidades educacionais. Seu trabalho busca estabelecer a troca de experiências e criar laços de confiança por meio do intercâmbio de conhecimento e de ideias entre pessoas ao redor do mundo. A organização está presente em mais de 100 países e trabalha com parceiros como os governos em diversas instâncias, organizações não-governamentais e iniciativa privada, em ações relacionadas à promoção da língua inglesa, cultura, artes, educação e programas sociais.  Informações:http://www.britishcouncil.org.br/