Sexta-feira, 13 de Maio de 2016

Jackson Itikawa vai representar o Brasil em Competição Científica Internacional

 Discurso sobre como a ciência faz as pessoas enxergarem o mundo com “outros olhos” emocionou a plateia

Ao apresentar modelo que exemplifica a teoria dos infinitos da Matemática, ele conquistou o júri e agora participará da final internacional do FameLab na Inglaterra, em junho, ao lado de cientistas de diversas nações;

O pesquisador Jackson Itikawa, doutor em Matemática pela Univeritat Autònoma de Barcelona, venceu há pouco a final nacional do FameLab, maior concurso de comunicação científica do mundo. A competição tem como objetivo desenvolver as habilidades de comunicação dos pesquisadores, promovendo a aproximação entre cientistas e público geral.

As apresentações dos 9 finalistas do FameLab aconteceram no Centro Britânico Brasileiro, em São Paulo; eles foram desafiados a apresentar um tema científico em até 3 minutos, em linguagem acessível a leigos. Um painel de jurados formado por cientistas e especialistas em comunicação, entre eles Mayana Zatz, professora titular de Genética da USP e líder do Projeto Genoma, avaliou as apresentações em três critérios: conteúdo, clareza e carisma.  Itikawa teve o melhor desempenho.

Sucesso de público e crítica, a versão nacional do FameLab contou com apresentações entusiasmadas de pesquisadores que investigam temas tão diversos como a reparação das moléculas do DNA e os paradoxos dos infinitos matemáticos.

CONTATO
Para mais informações entre em contato com nossa assessoria de imprensa através do email centro.info@britishcouncil.org.br ou ligue para (11) 2126-7500.

Lançado em 2005 no Festival de Ciência de Cheltenham, na Inglaterra, o FameLab desafiou os participantes a enviarem vídeos de até 3 minutos com a apresentação de um tema científico; a partir deste material, foram selecionados os finalistas que se apresentaram hoje no Centro Britânico Brasileiro.

Jackson Itikawa participou de dois projetos de iniciação científica e, com apoio da FAPESP, obteve bolsa também para mestrado e doutorado. Atualmente faz pós-doutorado vinculado ao projeto temático “Singularidades de aplicações diferenciáveis: teoria e aplicações. Jackson é bacharel em Matemática e em Engenharia Elétrica, ambos pela USP, e tem um PhD em Matemática pela Universitat Autònoma de Barcelona, Espanha. 

Sobre o FameLab – lançado em 2005 pelo Festival de Ciência de Cheltenham, na Inglaterra, O FameLab está presente em 32 países. Tem como objetivos promover a aproximação entre cientistas e público em geral e incentivar o desenvolvimento de competências entre pesquisadores. No Brasil, o concurso acontece pela primeira vez em 2016, em parceria com a FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Acesse: www.britishcouncil.org.br/famelab

Sobre o British Council

o British Council é a organização internacional sem fins lucrativos do Reino Unido para relações culturais e oportunidades educacionais. Seu trabalho busca estabelecer a troca de experiências e criar laços de confiança por meio do intercâmbio de conhecimento e de ideias entre pessoas ao redor do mundo. A organização está presente em mais de 100 países e trabalha com parceiros como os governos em diversas instâncias, organizações não governamentais e iniciativa privada, em ações relacionadas à promoção da língua inglesa, cultura, artes, educação e programas sociais. Informações: http://www.britishcouncil.org.br

Sobre a FAPESP

criada em 1962, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) está entre as mais importantes agências de fomento à Ciência e Tecnologia do Brasil. Mantida pela transferência de 1% das receitas tributárias do Estado de São Paulo, a FAPESP apoia projetos de pesquisa científica e tecnológica propostos por pesquisadores ligados a instituições de ensino superior e pesquisa no Estado, em todas as áreas do conhecimento. 

 

A seleção é feita com base na revisão por pares (peer review), metodologia que usa pareceres de pesquisadores brasileiros e estrangeiros não vinculados à Fundação como base para decisões. Em 2015, a Fundação desembolsou R$ 1,2 bilhão, ou $PPP 629 milhões (valor em paridade de poder de compra) para apoio a pesquisa científica e tecnológica. Mais informações em www.fapesp.br.