Segunda-feira, 29 de Junho de 2015

Spoken word e tradução literária marcam programação do British Council na Flip 

Programação organizada pelo British Council e parceiros levará ao público poesia falada, performance e debate sobre os desafios da tradução literária

A conexão cultural entre Brasil e Reino Unido será novamente fortalecida durante a próxima Flip, com a realização de diversos eventos programados pelo British Council, que desde a primeira edição é parceiro da Festa Literária Internacional de Paraty. Poesia falada (ou spoken word) e tradução literária estarão novamente no centro dessa programação, que ocupará diversos espaços da cidade que abrigam atividades próprias durante a Flip e também na capelinha, onde acontecerá o encontro de poesia envolvendo o britânico Lemn Sissay e a brasileira Elisa Lucinda. Batizado de “Poesia à Capela”, o evento faz parte da programação da FlipMais e promoverá um encontro entre as poesias do Brasil e da Inglaterra com esses dois vibrantes e versáteis artistas.

Ainda como parte da FlipMais, a inglesa Hannah Silva, poeta e artista performática, encenará Schlock!, uma performance poética. Trata-se de um espetáculo feminista que une literatura e expressão cultural criado durante o festival de poesia de Aldeburgh e apresentado pela primeira vez no Brasil. Schlock! tem estimulado o debate sobre sexo, poder, feminismo e o papel revolucionário do teatro. Após a performance, Hannah conversará com o público. 

Em parceria com a Editora Rocco, o British Council promoverá um sarau poético com Sophie Hannah, autora que integrará a programação da Flip. Nesse encontro –  “Sobre poetas e detetives” - os presentes poderão conhecer uma face menos difundida de sua produção: a poesia. No sarau, que será seguido de entrevista conduzida por Miguel Conde, editor da Rocco e ex-curador da Flip, Sophie lerá alguns de seus poemas. Também serão lidas traduções inéditas para o português feitas por Alípio Correia, vencedor do prêmio Jabuti de Tradução de Obra de Ficção Inglês-Português em 2014, categoria apoiada pelo British Council.

“Com a palavra, o tradutor” é o nome do encontro que acontecerá no Centro Cultural Sesc Paraty envolvendo Alison Entrekin, tradutora de mais de 40 títulos brasileiros para o inglês, e Zoe Perry, selecionada para a residência de tradução literária oferecida pelo British Council e pela Flip. Elas conversarão em português sobre a experiência e desafios de traduzir autores tão distintos, como Chico Buarque, Clarice Lispector, Veronica Stigger e Paulo Coelho. 

Ainda como parte da parceria com a Flip, o British Council apoiou a vinda de David Hare e Sophie Hannah, que participarão da programação na Tenda dos Autores: Um encontro com David Hare (Mesa 13) e De frente para o crime (Mesa 19), que reunirá Sophie Hannah e o cubano Leonardo Padura.

CONTATO
Para mais informações entre em contato com nossa assessoria de imprensa através do email centro.info@britishcouncil.org.br ou ligue para (11) 2106-7500.

Serviço

Com a palavra, o tradutor.

Participantes: Zoe Perry e Alison Entrekin

Data: 2 de julho (quinta-feira) 

Horário: 18 horas.

Local: Centro Cultural SESC Paraty – Rua da Matriz, 20

Entrada gratuita

Poesia à capela 

Participantes: Elisa Lucinda e Lemn Sissay

Data: 2 de julho (quinta-feira)

Horário: 21 horas

Local: FlipMais/Capelinha – Rua Fresca

Entrada gratuita

Sobre poetas e detetives: sarau poético e entrevista com Sophie Hannah 

Participante: Sophie Hannah 

Data: 3 de julho (sexta-feira)

Horário: 19 horas

Local: Casa Rocco – Rua da Matriz, esquina com rua Com. José Luiz

Entrada gratuita

Schlock! Uma performance poética

Participante: Hannah Silva   

Data: 4 de julho (sábado)

Horário: 10:30 horas

Local: FlipMais/Casa de Cultura de Paraty – Rua Dona Geralda, 177

Entrada gratuita

Apoio à programação da Flip

Mesa 13 - Encontro com David Hare

Data: 4 de julho (sábado)

Horário: 12 horas

Local: Tenda dos Autores

Mesa 19 – De frente para o crime 

Participantes: Sophie Hannah e Leonardo Padura

Data: 5 de julho (domingo)

Horário: 12 horas

Local: Tenda dos Autores

Sobre os convidados

Alison Entrekin

Australiana radicada no Brasil, é uma das mais conceituadas tradutoras do português para o inglês em atividade. Nos últimos 15 anos, traduziu importantes romances brasileiros, entre os quais Cidade de Deus, do Paulo Lins, O filho eterno, do Cristovão Tezza, Perto do coração selvagem, da Clarice Lispector, e Budapeste, do Chico Buarque. Escreve uma coluna mensal sobre tradução na revista Pessoa.

Zoe Perry 

Formada em Letras e Estudos Internacionais pela Guilford College (Estados Unidos), é mestre em Comunicação Intercultural pela Anglia Ruskin University, no Reino Unido. Participou de diversos cursos livres e oficinas voltadas à tradução literária, entre eles a Escola de Inverno de Tradução Literária, em Paraty. Nos últimos dois anos traduziu obras de Rodrigo de Souza Leão, João Ximenes Braga, Sérgio Rodrigues e Paulo Coelho, além do escritor moçambicano Mia Couto. Escreve e edita o blog Gringa Reads, sobre livros em português ainda não traduzidos para o inglês, com o propósito de divulgar a literatura brasileira para os leitores de língua inglesa. Zoe é a selecionada para a residência de tradução literária promovida pelo British Council e pela Flip. Durante sua residência de três semanas no Brasil, irá se dedicar à tradução já em andamento do romance Opisanie Swiata, de Veronica Stigger. 

Elisa Lucinda

Poeta, escritora, jornalista, cantora e atriz de teatro, cinema e TV, nasceu em Vitória do Espírito Santo e vive no Rio de Janeiro. Seus livros de poesia O semelhante, Eu te amo e suas estreias e A fúria da beleza já venderam mais de vinte mil exemplares e foram transformados em espetáculos pela atriz. Com o monólogo Parem de falar mal da rotina, a multiartista excursiona, desde 2002, pelo Brasil e pela Europa, sempre com plateias lotadas. A carismática Elisa, que, nas palavras de Nélida Piñon, “tem a linguagem em chamas”, publicou dezesseis livros, dentre os quais A Menina Transparente, que recebeu o prêmio Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil – FNLI. 

Lemn Sissay

É autor de uma série de livros de poesia, além de artigos, registros, transmissões de rádio, arte pública e peças de teatro. Seus Landmark Poems são instalações localizadas nos arredores de Manchester e Londres que podem ser vistos no The Royal Festival Hall e no Parque Olímpico. Seu poema instalação chamado what if foi exibido na The Royal Academy ao lado de Tracey Emin e Antony Gormley. Ele surgiu da Expedição Disko Bay ao Ártico ao lado de Jarvis Cocker, Laurie Anderson, Ryuichi Sakamoto, Leslie Feist e KT Tunstall. Seu 21st century poem foi lançado no premiado e multimilionário álbum Leftism, da banda Leftfield. A premiada peça Something Dark, dirigida pelo diretor artístico do Teatro Nacional do País de Gales, John McGrath, foi encenada no mundo todo e sua adaptação para o palco do romance Refugee Boy, de Benjamin Zephaniah, foi encenada durante as itinerâncias da West Yorkshire Playhouse na Grã-Bretanha em 2014. Sissay recebeu um MBE da Rainha pelos serviços prestados à literatura e um título de doutor honorário da Universidade de Huddersfield, que gerencia a Bolsa Sissay para jovens em situação de Abandono de Cuidados (jovens que, como aconteceu com Sissay, estiveram desde a infância sob cuidados de autoridades locais ou regionais mas deverão abandoná-los pois já atingiram um limite máximo de idade). A bolsa é pioneira no Reino Unido. Lemn é ainda artista associado ao Southbank Centre de Londres, patrono do The Letterbox Club e da The Reader Organisation, embaixador do The Children’s Reading Fund, membro inaugural do World Book Night e doutor honorário de Letras.

Sophie Hannah

Nasceu em Manchester, Inglaterra, em 1971. Filha de professores e escritores, publicou seu primeiro livro de poesia aos 24 anos e desde então tem publicado com regularidade livros infantis, de poesia e de ficção, esta sempre norteada por tramas policiais, de suspense e mistério. Foi escolhida pelos herdeiros da escritora Agatha Christie (1890–1976) para dar continuidade à sua obra. O resultado é Os crimes do monograma (Nova Fronteira/Ediouro, 2014), mistério protagonizado pelo célebre detetive Hercule Poirot. Seu mais recente livro é A vítima perfeita (Rocco, 2015).

Hannah Silva

É poetisa e performer, residente em Birmingham na Inglaterra. Seu trabalho já foi exibido por todo o país e também internacionalmente, incluindo o Centro de Design de Tóquio, o Festival Internacional de Polifonia Krikri na Bélgica, o Festival Latitude, o Festival Fringe de Edimburgo, e o Southbank Centre de Londres. A performance individual Opposition, em itinerância nacional entre 2011 e 2012, foi descrita como radical, política e corajosa por What’s on Stage, o maior e melhor site dedicado ao teatro do Reino Unido. Sua primeira coleção de poesias, Forms of Protest, foi altamente recomendada nos Forward Prizes e publicada em 2013 por Penned in the Margins, uma produtora de arte literária conhecida e respeitada no Reino Unido por produzir trabalhos originais ao vivo e nas versões impressa e on-line. Sua performance individual Total Man - Electronic Voice Phenomena foi escolhido para o Prêmio Ted Hughes de Novos Trabalhos em Poesia. Hannah é formada em coreografia e performance pelo Dartington College of Arts e tem especialização em teatro pela Exeter University. Já ministrou diversos cursos nas áreas de dramaturgia e escrita para grupos de performance do Teatro Royal Plymouth e de poesia para a Escola de Poesia.

David Hare

Nasceu em 1947, em East Sussex (Inglaterra). Um dos mais importantes dramaturgos vivos da cena contemporânea, David Hare é conhecido por obras de conteúdo sociopolítico. Assinou mais de vinte peças (como Ponto de Vista, com Beatriz Segall no elenco brasileiro, e Dez Encontros, recentemente em cartaz no Brasil). Formou-se em letras pela Jesus College de Cambridge em 1968, quando fundou um grupo de teatro em que atuava como diretor. Começou a escrever peças para solucionar um problema repentino com o texto que o grupo encenaria. Desde então, consolidou-se como dramaturgo e assinou mais de vinte peças. A sátira política, implacável com instituições judiciais e religiosas da Inglaterra, é uma das marcas de sua obra teatral. Em 1986 dirigiu Rei Lear, de Shakespeare, com Anthony Hopkins no papel principal. Como roteirista, foi indicado duas vezes ao Oscar de melhor roteiro pelos filmes As Horas (2002) e O Leitor (2008). Em 2011, recebeu o renomado PEN/Pinter Prize. Foi nomeado Sir (Cavaleiro do Império Britânico) em 1998. É membro da Royal Society of Literature.

Sobre o British Council

O British Council é a organização internacional sem fins lucrativo do Reino Unido para relações culturais e oportunidades educacionais. Seu trabalho busca estabelecer a troca de experiências e criar laços de confiança por meio do intercâmbio de conhecimento e de ideias entre pessoas ao redor do mundo. A organização está presente em mais de 100 países e trabalha com parceiros como os governos em diversas instâncias, organizações não governamentais e iniciativa privada, em ações relacionadas à promoção da língua inglesa, cultura, artes, educação e programas sociais. Informações: www.britishcouncil.org.br