Quatro professores conversam em sala de aula. Foto: Mat Wright

Atualmente, muito se fala sobre os benefícios do coaching para ajudar as pessoas a atingir seus objetivos, tanto no âmbito pessoal, como profissional. Essa técnica, que já é amplamente usada em ambientes empresariais, vem sendo cada vez mais adotada pela Educação para motivar equipes e alunos a aperfeiçoar seu desempenho.

A missão do educador é bastante desafiadora. Diariamente, ele tem de enfrentar problemas como indisciplina, falta de comprometimento, dificuldade de aprendizagem, entre tantos outros. Para apoiar os professores nessas questões e ainda incentivar seu desenvolvimento profissional, bons gestores estão aplicando o coaching educacional em suas escolas. As vantagens dessa iniciativa são percebidas em todas as esferas: corpo docente, alunos e equipe de apoio.

O coaching é baseado em questionamentos e conversas, ou seja, não oferece fórmulas ou respostas prontas. Ele impulsiona a mudança de atitudes e de comportamentos e a expansão de consciência. Quem passa pelo processo assume a responsabilidade pelo seu crescimento. O educador é encorajado a identificar suas necessidades de desenvolvimento e descobrir a melhor solução para seus problemas, sempre com o apoio de um mediador (coach). É uma ferramenta prática que leva o profissional a identificar ações para alcançar seus objetivos. 

Feedbacks constantes também são utilizados para o aprimoramento. A solução dos problemas é construída em conjunto, visando o resultado a longo prazo. Assim, o coaching engaja professores e gestores em seu crescimento profissional a fim de trazer melhorias à sua prática. 

Em países como Reino Unido, Austrália e Estados Unidos, o coaching já faz parte do ambiente escolar. Para os gestores, o foco é o aprimoramento das habilidades de liderança, o apoio ao desenvolvimento dos professores e a melhoria dos resultados da instituição. Já para os docentes, o objetivo é o desenvolvimento da autoconfiança e da capacidade de lidar com resistências, assim como a ampliação de estratégias que estimulam a aprendizagem efetiva. 

Apesar de a profissão de coach estar crescendo no Brasil, ainda há poucos profissionais especializados em coaching educacional. Há duas razões para isso: a aplicação dessa técnica na área de educação é uma tendência relativamente nova e ela exige um mediador com perfil diferenciado, que tenha experiência no magistério e na gestão escolar, além de uma formação específica na ferramenta. 

Para preencher essa lacuna, o British Council trouxe para o país o Curso de Liderança Escolar, inspirado no modelo inglês de gestão. Ele tem como destaque o módulo de coaching educacional, aprovado com louvor por todos os ex-alunos do curso. O programa aborda ainda outros assuntos fundamentais para a boa gestão escolar que complementam e potencializam o trabalho de coaching. Dividido em nove módulos, com um total de 40 horas de duração, o curso possibilita uma vivência rica, prática e dinâmica que os participantes poderão aplicar em sua realidade. 

 

Veja também