Jovens que querem estudar no exterior
©

Drobotdean - br.freepik.com

Você sabe o que são IELTS e TOEFL? Bom, para estudar fora do Brasil em universidades ou outras instituições de ensino, principalmente em países de língua inglesa ou onde as aulas sejam ministradas no idioma, é preciso ter certos níveis de proficiência de inglês para acompanhar as aulas. 

O IELTS e o TOEFL são os testes de proficiência de língua inglesa mais populares do mundo e também são parte do passaporte para quem deseja ingressar em algum programa de estudos para estudar fora do seu país de origem. Se você está planejando fazer parte de um desses programas, já pode escolher um destes exames para realizar e se preparar para eles. 

Qual é o melhor exame de inglês para estudar no exterior?

Como dito anteriormente, o IELTS e TOEFL são exames que visam avaliar as quatro principais habilidades dos candidatos na língua inglesa, são elas: Listening, Reading, Writing e Speaking. Os testes têm o mesmo objetivo, são parte do processo para quem almeja estudar fora, são reconhecidos mundialmente e amplamente aceitos ao redor do mundo. Entretanto são testes com estruturas e exigências diferentes. 

IELTS Academic

No IELTS Academic, durante 2 horas e 45 minutos, os candidatos precisam demonstrar conhecimentos em assuntos relacionados ao ambiente acadêmico, portanto, o teste pode ser mais complexo e exigir bagagem dos estudantes. Afinal, o exame é um ensaio para as situações que quem vai estudar fora pode enfrentar. 

  • Listening: Na seção Listening, o aluno tem 40 minutos para responder as perguntas, sendo 30 para as questões e 10 para transferir as respostas para o papel. No caso, do IELTS, no computador, o tempo varia entre 30 e 34 minutos. O candidato deve ouvir alguns áudios e responder questões diversas relacionadas a eles.
  • Reading: Para o Reading, o estudante terá de ler três textos maiores e após a leitura e análise de gráficos tabelas e diagramas contidos nos artigos, responder as 40 perguntas. O conteúdo desta seção costuma mesclar textos factuais, descritivos e discursivos. Nesta etapa, os avaliadores analisarão a capacidade de compreensão do idioma, tanto nas ideias centrais dos textos, quanto nos detalhes e na argumentação. São textos retirados de locais como: livros, revistas e jornais. Entende-se que futuros alunos de instituições de ensino superior e que vão estudar fora, serão capazes de analisar e discutir tais temas.
  • Writing: A etapa de Writing exige que os alunos escrevam duas redações, a primeira com no mínimo 150 palavras e a segunda com 250. Para a redação menor, o candidato deve analisar tabelas, diagramas e/ou gráficos disponíveis e escrever de forma argumentativa sobre as informações obtidas após a análise. Na segunda redação, o aluno precisa estruturá-la de forma a produzir um texto argumentativo com introdução, desenvolvimento e conclusão. É preciso expor suas ideias e embasá-las em argumentos ou exemplos, utilizando a linguagem formal como meio de transmitir suas ideias. O tempo total para a produção das duas redações é de uma hora, especialistas recomendam aos que pretendem estudar fora que sejam gastos vinte minutos na primeira tarefa e quarenta na segunda. 
  • Speaking: Na seção Speaking, que é a mais curta entre as quatro e também a única realizada em dia diferente das demais, o aluno tem entre 10 e 14 minutos para mostrar suas habilidades como falante da língua inglesa. Tanto presencialmente, quanto em videoconferência, esta etapa é somente entre o candidato e o examinador. Deste modo, não há interferências e nada que possa atrapalhar seu desempenho.

Esta, acaba sendo uma das principais diferenças entre o IELTS e TOEFL, a oportunidade de o candidato ficar a sós com o examinador, em ambos os tipos de prova. Você será questionado sobre sua vida pessoal, amigos, profissão, lazer. Mas também, terá de falar sobre um tema determinado por um cartão sorteado. Na etapa final, é preciso responder a questões sobre o tópico definido no cartão. Tente manter a calma e não fugir do assunto proposto e não se esqueça de falar a máximo possível para demonstrar seus conhecimentos, sem ultrapassar o tempo estipulado.

IELTS General Training

Com o mesmo tempo de duração da prova anterior (2 horas e 45 minutos). Neste teste, o estudante que pretende estudar fora precisa demonstrar suas habilidades em situações voltadas para o dia a dia, trabalho e relações sociais. 

  • Listening: Começando pelo Listening, são dispostas quatros gravações para que o aluno ouça e responda diversas questões sobre elas. Podem conter na prova: questões de múltipla escolha, preenchimento de lacuna ou análise de gráficos. Os temas abordados nas gravações são variados, incluindo diálogos rotineiros, conversas de grupos de até quatro pessoas sobre trabalho ou escola. E por fim, áudios sobre temas mais complexos, como algo relacionado a universidades e o ambiente acadêmico, o que é essencial para quem vai estudar fora. É recomendado, portanto, que o aluno tenha conhecimentos sobre alguns temas e possua um vocabulário que englobe setores variados. É importante ressaltar que, não há um sotaque único nos áudios disponibilizados para os alunos nesta seção. Isso porque o IELTS busca ser o mais diverso e inclusivo possível, trazendo diversos sotaques da mesma língua. Outro mito a ser esclarecido a respeito do IELTS e TOEFL, se refere a crença de quem o IELTS não é aceito nos Estados Unidos. Muito pelo contrário, este teste é aceito por centenas de instituições do país. Há ainda quem acredite que o inglês americano é mal avaliado quando falamos sobre TOEFL e IELTS, o que não condiz com a realidade.
  • Reading: Para a seção Reading, são utilizados 3 tipos de textos nas 3 etapas da prova. De início, são 2 ou 3 artigos menores com fatos reais para começar a prova e a seguir, são utilizados 2 textos factuais e curtos com temas que falem sobre o mercado de trabalho. Para finalizar, 1 texto extenso que aborde temas gerais é ofertado ao candidato. Após a leitura e interpretação dos textos, o estudante que pretende estudar fora do país tem uma hora para responder a 40 perguntas que avaliarão sua capacidade de compreensão do inglês, bem como suas habilidades de interpretação e argumentação. Além do reconhecimento de discursos e opiniões. O tempo dado aos alunos deve ser usado para ler, interpretar e responder as questões e também para transcrevê-las para o papel. Os textos utilizados nesta seção, podem ser retirados de livros, jornais, revistas, manuais etc. O objetivo é demonstrar aos candidatos que estes temas passarão a fazer parte da sua rotina ao viver e estudar fora do Brasil.
  • Writing: Na etapa Writing, assim como no IELTS Academic, é dever do aluno escrever duas redações, uma com 150 palavras e a outra com 250, no mínimo. Na primeira, é preciso escrever uma carta para alguém de sua escolha, um amigo, familiar, professor, chefe etc Para a segunda redação, é necessário um pouco mais de estruturação e embasamento. Haverá um tema proposto e com esta base, a redação que deve conter: introdução, desenvolvimento e conclusão, deve trazer argumentos que baseiem a opinião do candidato.O inglês utilizado nas redações pode ser coloquial, informal ou formal. Procure dividir bem o tempo. É recomendado que o candidato use os primeiros 20 minutos para a primeira tarefa e reserve os 40 minutos finais para a segunda.
  • Speaking: Para finalizar, o Speaking, está etapa também dura no máximo 14 minutos e não é feita no mesmo dia que as 3 primeiras etapas.  Assim como na modalidade de teste anterior, é possível que o aluno que deseja estudar fora, faça a prova ao vivo ou por videoconferência, somente o estudante e examinador. São 3 etapas, na primeira (Introdution and Interview), o estudante responderá perguntas aleatórias sobre família, amigos, trabalho. Na etapa (Long Turn), o candidato recebe um cartão com um tema e precisa falar sobre ele, assim como no IELTS Academic. Na terceira e última parte (Discussion), o estudante é questionado sobre assuntos referentes ao tema abordado no tópico anterior.

IELTS for UKVI

Este teste de proficiência da língua inglesa, é destinado para quem deseja trabalhar ou estudar no Reino Unido e também é um teste reconhecido pelo Departamento de Vistos do Reino Unido. Não há discrepâncias em níveis de dificuldade ou formato de teste em relação as provas citadas anteriormente. 

Somente em relação aos resultados que há algumas diferenças porque o Test Report Form (Formulário de Relatório de Teste) precisa conter informações sobre o local onde o teste foi realizado, um local autorizado pelo UK Home Office. O aluno que tem como objetivo estudar fora, deve escolher qual modalidade de exame fazer de acordo com suas pretensões. Se deseja ingressar no país com visto de estudante universitário (graduação ou pós-graduação), por exemplo, precisa do Tier 4 ou Tier 4 Sponsor, caso a instituição de ensino seja a patrocinadora do visto.  As notas aceitas nestas instituições ficam a critério das mesmas e quanto a não-estudantes, é preciso verificar junto as organizações de interesse qual a nota exigida para o ingresso.

Obtenha mais informações sobre IELTS Academic, IELTS General Training ou IELTS for UKVI

                                                                                                         Exame IELTS: qual das versões devo fazer? 

 Vamos agora as particularidades de cada etapa do TOEFL:

Para a seção Listening, o candidato ouve áudios variados e pode anotar o que considerar importante sobre cada um deles. Em seguida, precisa responder diversas perguntas usando o que compreendeu das gravações como base. O aluno tem até uma hora para responder todas as perguntas, que são de múltipla escolha. 

Assim como na etapa anterior, as questões na parte de Reading são de múltipla escolha. O estudante responderá entre 3 e 5 temas sobre textos acadêmicos. E as diferenças entre o TOEFL e IELTS não param por aí, na parte seguinte, o Writing, o candidato deve produzir duas redações dissertativas. A primeira deve conter entre 300 e 350 palavras e seguir as recomendações do enunciado, já o segundo texto, precisa de no mínimo 150 e no máximo 225 palavras. Nesta última redação, o aluno precisa ler um texto, ouvir um áudio e diante das anotações feitas produzir o texto.

Para finalizar o teste, vem a parte final, o Speaking. Aqui, o aluno não tem uma conversa com um examinador. Apenas precisa gravar respostas entre 45 e 60 segundos pelo computador com a ajuda de um microfone. O que faz aumentarem as diferenças entre o IELTS e TOEFL porque não nenhuma interação entre examinador e aluno nesta parte. O candidato deve responder a seis questões após ler ou ouvir conversas e o tempo máximo para a realização desta etapa é de 20 minutos. O TOEFL e IELTS tem durações diferentes, enquanto o primeiro dura cerca de quatro horas e meia, sendo que todas as etapas são realizadas pelo computador, em um único dia. O segundo, dura aproximadamente 2 horas e 45 minutos, com a seção Speaking realizada em outro dia.

Com base nos seus planos futuros, país no qual deseja viver ou instituição que deseja estudar fora do país, agora, diante destas informações fica mais fácil escolher um teste para fazer parte de um programa. E decidir também entre IELTS e TOEFL.

Programas para brasileros para estudar no exterior 

Estudar fora e morar no exterior, além de ser um sonho para milhares de brasileiros, também pode ser a oportunidade de crescer na carreira, conhecer novas culturas e conseguir um bom emprego. Se você chegou até aqui, já entendeu a importância do inglês e de um teste de proficiência, como o IELTS e TOEFL para alcançar seus objetivos. Conheça agora alguns programas que oferecem bolsas de estudos para quem almeja estudar fora.

São bolsas de diversos tipos em países diferentes, tanto na Europa, quanto Estados Unidos e Canadá, confira:

E3 Excellence Postgraduate Placements Este é um programa ofertado pela Trinity College Dublin, onde são disponibilizadas bolsas para pós-graduação em Ciências Naturais, História Ambiental, Engenharia etc. As vagas são disponibilizadas para estudantes do mundo todo, inclusive brasileiros. 
UCD Ad Astra Academic Scholarship Programme Ainda em Dublin, este programa de bolsas de estudos da University College Dublin, oferece bolsas em áreas variadas para quem vai ingressar na graduação. O candidato pode escolher entre áreas como: Direito, Psicologia, Engenharia, Medicina Veterinária e outros cursos. Além disso, terá acesso a cursos, acompanhamentos e a oportunidades de trabalho.
Fulbright Com este programa de bolsas de estudos dos Estados Unidos, milhares de brasileiros já ingressaram em universidades americanas e vice-versa. As bolsas oferecidas vão desde bacharelados até doutorados. 
DAAD (Deutscher Akademischer Austauschdienst) No programa de bolsa de estudos alemão, são oferecidos diversos tipos de bolsas de estudos em universidades do país. São vários níveis de oportunidades de estudos disponíveis, desde a graduação ao doutorado. O programa também abrange pessoas que desejam estagiar e aprender um novo idioma na Alemanha. No site Scholarships for Germany, é possível obter informações sobre a quantidade e o tipo de bolsas disponíveis no momento.
Global Affairs Canada (GAC) Para quem deseja estudar fora e tem o Canadá como primeira opção, são disponibilizadas bolsas para graduação, pós-graduação e treinamento no país. Este programa tem uma oferta de bolsa especialmente para candidatos brasileiros, juntamente com o Governo Federal. O programa especialmente para brasileiros, o Canada-Brazil Awards – Joint Research Projects, atualmente oferece bolsas para a pós-graduação. Mas vale se atentar, pois, bolsas de graduação sempre são disponibilizadas. 
Chevening Scholarship Aos interessados em dar continuidade aos estudos em terras britânicas, este programa já contemplou muitos brasileiros e você pode ser o próximo. O objetivo do programa é dar oportunidades para os futuros líderes mundiais se aprimorarem em universidades do Reino Unido. Então, se você quer fazer a diferença no mundo, essa pode ser a sua oportunidade.
International PhD Positions at University College Cork Ainda para os interessados em estudar fora, em Dublin, este programa de bolsas é a chance de fazer seu PhD em Ciências da Computação, no exterior. Para ser elegível a esta bolsa, o candidato precisa de conhecimentos e certa experiência na área, o que pode ser tanto em projetos realizados durante a graduação ou mestrado.
Campus France Para quem deseja estudar na França, este programa de bolsas de estudos tem mais de 90 opções de bolsas, que variam desde o bacharelado até o doutorado. Estas bolsas podem ser parciais ou integrais e disponibilizam oportunidades em diversas áreas do conhecimento. Ao todo, pessoas de 110 países já participaram do programa e você não quer ficar de fora, não é?
Nuffic Neso Brazil Este é um site destinado a brasileiros que desejam ser contemplados com bolsas de estudos na Holanda. O programa tem bolsas especialmente ofertadas para estudantes brasileiros. Além de oferecer a oportunidade para os alunos daqui conseguirem bolsas integrais, também oferecem ajuda de custo com despesas adicionais. Um dos exemplos de bolsas exclusivas para brasileiros é a Orange Tulip Scholarship e para ser elegível a uma das bolsas é preciso que o candidato apresente méritos acadêmicos. O site da instituição disponibiliza todas as informações aos interessados.
International Undergratuate Scholarchip  Para quem deseja estudar fora do Brasil, na Europa, mais especificamente dentro do Reino Unido, a University of Aberdeen é uma das mais conceituadas do continente e fica na Escócia. Este programa de bolsas oferece oportunidade de estudar fora para estudantes de diversas nacionalidades, inclusive para brasileiros. Não há restrições para as áreas de estudo, praticamente para todas existem bolsas que vão desde Direito até Ciências Sociais. Para concorrer a uma das bolsas e escolher o curso, basta acessar o site da instituição e preencher aos requisitos impostos pela universidade.

Como podemos notar, são diversas as opções de bolsas de estudos e oportunidades de expandir seus horizontes e investir em conhecimento e cultura.  Quem consegue provar suas habilidades por meio de um exame de inglês, já tem uma parte da jornada percorrida. Outras instituições que oferecem bolsas para candidatos a graduação são: Universidad Villanueva, na Espanha, Universidade de Boston, nos Estados Unidos, Universidade de Oxford, Reino Unido e Ton Duc Thang University, no Vietnã.

Para os alunos interessados em pós-graduações, estas são algumas das outras opções: University of Southern Denmark, na Dinamarca, University of Montreal, no Canadá, King Fahd University of Petroleum & Minerals – PhD, na Arábia Saudita. No site do Ministério da Educação, também são atualizadas oportunidades de bolsas de estudos para quem deseja estudar fora. São bolsas para: Hungria, Canadá, Tunísia, México, Portugal e Austrália. A quantidade de bolsas disponibilizadas pode variar de acordo com a disponibilidade do país e do curso escolhidos. E apesar de ter encerrado suas atividades em relação a graduação, o programa nacional, Ciências Sem Fronteiras, continua oferecendo oportunidades para candidatos a pós-graduação. Pelo visto, oportunidades para estudar fora, não faltam. Mas é preciso estar pronto para agarrar estas chances quando aparecem e ter o inglês na ponta da língua é um dos requisitos para estudar no exterior. E mais que isso, poder provar suas habilidades no inglês, é essencial para conseguir uma chance para estudar em outro país.

O IELTS e outros exames de inglês fazem parte da jornada de quem almeja ampliar seus conhecimentos fora do Brasil. Basta escolher o exame que mais atenda às suas necessidades e, principalmente, que seja aceito pela instituição de seu interesse, estudar e conseguir a melhor nota para embarcar no seu sonho.

Dicas para quem deseja estudar no exterior

Depois de conhecer algumas das dezenas de oportunidades de aperfeiçoamento no exterior, em destinos mais populares e outros menos concorridos, aceitando o TOEFL e/ou IELTS como certificado de proficiência, vamos às dicas para facilitar sua vida nesta jornada.

  • Passaporte: parece meio óbvio, mas este deve ser um dos principais itens da sua lista e, é claro, não deixe para última hora. Não é demais que você comece o processo para obter o documento o quanto antes, afinal, imprevistos acontecem e é melhor estar prevenido. 
  • Obtenha o visto: assim como o passaporte, o visto para estudar fora, é imprescindível em alguns países, como os Estados Unidos. Procure saber sobre o país que pretende estudar e caso o visto de estudante seja exigido, pesquise o que é necessário para o processo e comece o quanto antes. Pode ser que as etapas sejam longas e você quer deixar nada para última hora, não é?
  • Documentos: cada instituição exige uma quantidade de documentos diferente, por isso, busque as informações necessárias e corra atrás dos seus o quanto antes. Muitas vezes, históricos e diploma ficam perdidos e dão um certo trabalho para obtê-los, fique atento. 
  • Cartas de recomendação: para quem vai estudar fora, é bom saber que este documento também é importante. Caso a sua instituição exija esta Aplication, é preciso estar preparado e ir atrás de alguém que escreva sua carta de recomendação. Em muitos casos, é preciso enviá-la com os demais documentos. Esta carta pode ser escrita por um professor, orientador ou antigo chefe. Viu só, quanta coisa você precisa organizar?
  • Redações/Essays: parte comum do processo para quem deseja estudar fora, é a produção de redações falando sobre a vida do candidato, sua carreira, histórico estudantil e objetivos futuros. Além disso, é comum que o candidato descreva os motivos que o fazem querer estudar naquela instituição. Também não é raro que sejam solicitadas outras redações com temas específicos. Portanto, prepare-se. 
  • Seguro-saúde: outro ponto importante para os estudantes estrangeiros está ligado à saúde. Diversos países solicitam este tipo de confirmação por parte dos alunos de outras localidades. Para que você possa utilizar os recursos do lugar, esta é uma das exigências e algumas bolsas de estudo até cobrem este tipo de plano. Mesmo em países que não exigem este seguro, é bom saber como funciona o sistema de saúde e como será caso você fique doente. 
  • Certificado de proficiência da língua inglesa: você também já deve saber disso, mas nunca é demais relembrar. Para estudar fora do Brasil, em países nativos da língua inglesa ou que suas aulas sejam ministradas no idioma, é preciso comprovar suas habilidades. Por isso, os testes de proficiência em inglês fazem parte do pacote para começar sua nova rotina como estudante internacional. 

Como se sair bem no teste

Como em todo teste, concurso ou prova ou em outras áreas da vida, é preciso enfrentar alguns desafios antes de alcançar objetivos. Para conseguir estudar fora com uma bolsa de estudos, é necessário percorrer um caminho com algumas tarefas a serem cumpridas. O seu exame estão entre os trabalhos mais importantes a serem concluídos antes de embarcar para outro país. Sendo assim, se prepare com antecedência para a prova, independentemente se for o TOEFL ou IELTS. Como mostrado anteriormente, você vai precisar de bagagem no idioma, vocabulário, gramática e outras tantas coisas que te farão se sair bem no teste. Monte um cronograma de estudos, consuma conteúdos em inglês, afinal, quando estiver estudando em outro país o idioma será parte da sua rotina.

Busque conteúdos que agreguem para seu crescimento e cultura, faça um pouco por dia. No site do British Council, existem diversos tipos de materiais gratuitos para te ajudar a se preparar. São vídeos, artigos, aulas, simulados e até aplicativos, com o intuito de auxiliar nos seus estudos. Além do mais, os candidatos que se inscrevem para o IELTS, tem acesso a um curso preparatório exclusivo, que com certeza, vai alavancar seus conhecimentos e diminuir suas preocupações em relação ao seu desempenho. 

Inscreva-se aqui

 Se prepare e faça o IELTS com o British Council

O IELTS é um dos testes mais populares e aceitos em todo o mundo. Ao todo são mais de dez mil instituições em mais de 140 países que aceitam este exame como certificado. No Brasil, o British Council tem diversos locais de provas autorizados tanto para o teste no papel, quanto para computador. Além disso, são diversas datas ao longo do ano, certamente, uma delas vai se adequar a sua necessidade. Você que deseja estudar fora, pode fazer a prova em Brasília, no Rio de Janeiro, em São Paulo, Curitiba, Fortaleza, Manaus, entre outros. Encontre também dicas para sua prova em inglês em nosso site.

Acessar nossos conteúdos preparatórios