Jovem brasileira feliz por estudar e trabalhar nos EUA com visto de estudante
©

Imagem de Freepik

Inscreva-se no IELTS Brasil: preços, datas e locais de prova

Via de regra, não há permissão governamental para que estudantes estrangeiros trabalhem enquanto estudam nos Estados Unidos. A única exceção é para o caso específico daqueles que possuem o visto de estudante da categoria F-1 (Academic Student) e que já estão matriculados em um curso acadêmico de ensino superior.

Antes de detalhar tal situação, é importante saber que, se você deseja fazer graduação ou especialização nos Estados Unidos, diferentemente de como é no Brasil, o processo seletivo das universidades americanas vai além do vestibular. Isso porque existe uma série de etapas com alguns requisitos a cumprir, dentre eles comprovar a proficiência em inglês por meio de um teste oficial. 

Nos EUA e em outros 144 países, o teste IELTS  é reconhecido por mais de 11.000 organizações profissionais e acadêmicas. Se você deseja estudar nos Estados Unidos, é recomendado fazer a prova da versão IELTS Academic porque ela avalia se você se tem o nível de proficiência em língua inglesa exigido para ingressar em um curso acadêmico, refletindo algumas das competências da linguagem acadêmica.

Quais são as vantagens e desvantagens de estudar e trabalhar nos EUA?

Mesmo com os efeitos da pandemia sobre a busca por cursos de pós-graduação nos EUA, o Brasil foi o 12º país que mais enviou estudantes intercambistas para o solo americano em 2021 – de acordo com o relatório Open Doors Report on International Educational Exchange. Mas se você pretende estudar e trabalhar nos EUA, é bom saber que existem vantagens e desvantagens – confira algumas que separamos na tabela. 

Vantagens

Desvantagens

  • Total imersão linguística no idioma inglês.
  • Ser aluno de universidades reconhecidas em todo o mundo. Para você ter uma ideia, de acordo com o QS World University Rankings 2022, cinco universidades americanas estão entre as top 10 globais e a primeira colocada é o MIT (Massachusetts Institute of Technology).
  • Grande variedade de cursos para estudantes internacionais.
  • Você conhecerá pessoas de todo o mundo.
  • Um bom profissional formado nos EUA se destaca no mercado de trabalho de qualquer país em que deseje morar, em especial nas áreas de tecnologia e saúde.
  • Os EUA têm um dos melhores sistemas de transporte do mundo, com ônibus e metrô interligados, e o custo é extremamente acessível para estudantes estrangeiros de todas as nacionalidades.
  • Considerando a disparidade entre o Real e o Dólar, mesmo com alguma bolsa de estudos, sua permanência terá um alto custo nos EUA. 
  • Caso não fique instalado no campus, os custos de aluguel podem variar de acordo com o tipo de imóvel, estado e cidade. Mas, em média, o aluguel de um apartamento custa US$ 2.469. 
  • No entanto, você pode reduzir significativamente os seus custos com moradia, dividindo o imóvel com um roomate. Vale ressaltar que  muitas bolsas de estudo para graduação nos EUA têm o benefício de auxílio para o alojamento dentro do campus.
  •  Caso você se instale fora do campus universitário, as despesas podem variar de US$ 150 a US$ 250 para contas como água, luz, aquecimento e internet.
  • O custo do lazer depende do que você mais gosta de fazer, porém, a média pode variar de US$ 350 até US$ 600 por mês.

Posso trabalhar enquanto eu estudo?

Existem três situações em que os estudantes estrangeiros podem trabalhar enquanto estudam nos EUA.

Grupo de estudantes brasileiros felizes por poder estudar e trabalhar nos EUA com visto de estudante
©

Imagem de Freepik

Durante o primeiro ano do curso

O On-Campus Employment – ou “emprego dentro do campus” – é uma categoria de emprego que está em conformidade com as regras do USCIS e que não exige permissão direta do governo americano toda vez que você conseguir uma vaga. 

A jornada é de meio período e os tipos de trabalho desta categoria são exercidos dentro do campus de uma universidade ou em estabelecimento fora do campus, desde que afiliado à uma instituição educacional. 

Em circunstâncias especiais de dificuldades financeiras – entre outras, a perda de sua ajuda financeira ou do emprego dentro do campus e despesas substanciais e inesperadas como contas médicas –  o USCIS pode outorgar uma "Work Permit" (Autorização de Trabalho) ao estudante com um visto F-1 para trabalhar em funções fora do campus durante o primeiro ano do curso.

A partir do segundo ano

Você poderá trabalhar enquanto estuda nos EUA por meio de um Treinamento Prático Curricular (CTP) pertencente à grade curricular do seu curso ou que esteja relacionado a qualquer outro tipo de função explicitamente aprovada e patrocinada pela sua universidade. 

Existem dois tipos de CPT, o Academic Program CPT (no qual os estudantes estrangeiros passam por uma experiência prática relacionada à área de estudo como um requisito obrigatório do curso, por exemplo, um estágio) e Non-required CPT (pode ser completado como crédito acadêmico, mas não é uma parte obrigatória do curso).

Com a possibilidade de ser integral e valer crédito acadêmico para que o estudante consiga manter o status do visto F-1, o CPT permite o trabalho integral, por mais de 20 horas semanais, ou de meio período, por no máximo 20 horas semanais, em uma função remunerada em dólares americanos.

Depois de concluir o curso

Uma ótima maneira de como estudar e trabalhar nos EUA é por meio de um Treinamento Prático Opcional (OPT), que também deve ser relacionado à sua área de estudo. 

Existem dois tipos de OPT, o Pre-Completion OPT (permite trabalhar por no máximo 20 horas por semana durante o ano letivo e em período integral durante as férias) e o Post-Completion OPT (trabalhar tanto em meio como em período integral).

O estudante internacional pode atuar por no máximo 12 meses para cada grau de formação (por exemplo, 12 meses para bacharelado e 12 para um mestrado);

Caso o aluno tenha atuado por 12 ou mais meses no CPT em período integral, não é elegível ao OPT.

Agende seu teste IELTS com o British Council hoje mesmo!

Como obter o visto de estudante com permissão de trabalho nos EUA?

O passo a passo para tirar o visto F-1 é:

  1. Apresentar a carta de aceite da universidade;
  2. Preencher o formulário I-20;
  3. Preencher o formulário DS-160;
  4. Preencher o formulário I-901 e pagar a taxa SEVIS;
  5. Agendar horários no CASV e no consulado americano;
  6. Entregar a documentação no CASV;
  7. Esperar o visto chegar.

Para saber mais, você pode consultar o site oficial de Informação e Agendamento de Visto de Não Imigrante (temporário) da embaixada dos EUA. no Brasil.

Como o IELTS pode te ajudar a estudar e trabalhar nos EUA?

Considerando que a pontuação do teste IELTS é uma nota de 0 a 9, na chamada IELTS Band Score, ter uma nota igual ou superior a 6 faz a diferença ao se candidatar ao visto que permite estudar e trabalhar nos EUA.

Vale ressaltar que a prova do IELTS é dividida em quatro etapas que avaliam o seu nível de inglês. 

  • Writing: avaliação da capacidade de escrita;
  • Reading: avaliação da capacidade de leitura;
  • Listening: avaliação da capacidade de compreensão auditiva;
  • Speaking: avaliação da capacidade de conversação (seja com sotaque britânico ou americano).

Como ter a melhor preparação para o IELTS?

Com os recursos preparatórios do British Council você aumenta as chances de conseguir a pontuação necessária ao processo de obtenção do visto de estudante com permissão de trabalho nos EUA.

Todos os nossos materiais de estudo são 100% online, totalmente em inglês e elaborados por especialistas em exames de proficiência no idioma. Com o British Council, você entende os detalhes de todas as etapas, versões, formatos e resultados do teste IELTS, tem dicas preciosas para a realização e conta com recursos diversificados (alguns gratuitos e outros pagos), por exemplo, simulados e videoaulas.

Faça o IELTS com o British Council e dê o primeiro passo para alcançar a meta de estudar e trabalhar nos EUA.

Mais informações sobre locais de prova, valores e cursos de preparação para o teste IELTS