Imagine estudar no Reino Unido e ter como colegas de classe alunos chineses, alemães e canadenses. Isso é bastante comum nas universidades britânicas, onde cerca de 20% dos alunos são de outros países. De acordo com dados da HESA (Higher Education Statistics Agency), dos 2,3 milhões de matriculados no ensino superior britânico no ano letivo de 2017-2018, mais de 458 mil eram estudantes internacionais.

Os chineses são a maioria dos estrangeiros que escolheram o Reino Unido como destino para seus estudos, correspondendo a 31% desta comunidade, seguidos dos indianos, estadunidenses, alemães e franceses. Os brasileiros, por sua vez, somavam 1670 estudantes matriculados em 95 universidades espalhadas pelo território britânico.

Estudar ao lado de colegas do mundo todo é uma experiência única. O contato com pessoas com diversas origens, ideias, vivências e crenças permite que os estudantes enriqueçam a sua bagagem cultural sem precisar sair do campus. Imagine quantos idiomas, comidas, músicas e estilos de vida diferentes você não poderia conhecer enquanto estuda e convive com colegas estrangeiros?

A diversidade cultural também é muito importante para o desenvolvimento de habilidades altamente valorizadas no mais diversos setores do mercado de trabalho. Além de ajudar a compreender melhor o mundo, a diversidade aguça a criativa e torna as pessoas mais tolerantes e resilientes a mudanças. Ou seja: estudar em um ambiente multicultural fará de você um profissional mais flexível e com uma perspectiva global sobre vários assuntos.

Atraídos pela excelência acadêmica, pela flexibilidade da grade curricular e pelas várias opções de cursos oferecidos pelas universidades britânicas, a comunidade de estudantes internacionais agrega uma riqueza cultural não somente ao ambiente acadêmico, mas também à bagagem cultural e ao desenvolvimento profissional daqueles que escolhem estudar nas diversas instituições de ensino superior do Reino Unido.

Veja abaixo alguns dos motivos que atraem estudantes do mundo todo para estudar em terras britânicas.

Excelência acadêmica

As universidades britânicas estão entre as melhores do mundo e, entre seus docentes, estão algumas das mentes mais brilhantes do planeta.

  • 11 universidades britânicas foram classificadas entre as 100 melhores do mundo, segundo o Times Higher Education World University Rankings 2019
  • As duas melhores instituições de ensino superior do globo, inclusive, são inglesas: Universidade de Oxford (1o lugar) e Universidade de Cambridge (2o lugar)
  • As outras universidade britânicas que também aparecem no topo do ranking são: Imperial College London (9o), University College London (UCL, 14o), London School of Economics and Political Science (LSE, 26o), Universidade de Edimburgo (29o), King's College London (38o), Universidade de Manchester (57o), Universidade de Bristol (78o), Universidade de Warwick (79o) e Universidade de Glasgow (93o)
  • 131 prêmios Nobel
  • 7 medalhas Fields (popularmente conhecida como "Nobel da matemática")
  • Mais de 1.000 anos de tradição acadêmica, com algumas das universidade mais antigas do mundo ainda em atividade

Tipos de cursos e flexibilidade curricular

Com grades curriculares flexíveis, as universidades britânicas estimulam uma formação abrangente, crítica e autônoma, privilegiando atividades práticas e em grupo, com menor tempo em sala de aula. A comunidade internacional que opta por estudar no Reino Unido é composta por estudantes das mais variadas idades e níveis -- desde o jovem que busca a sua primeira formação acadêmica até profissionais mais experientes que querem se aprimorar por meio de cursos mais curtos e intensivos.

Undergraduate courses (graduação)

Com média de 3 anos de duração, os cursos de graduação geralmente oferecem em seu primeiro ano disciplinas básicas na área/disciplina escolhida, com atividades teóricas e práticas. Nos dois anos seguintes, o estudante se aprofunda nos assuntos em matérias que ele pode escolher, ajustando o currículo de acordo com a sua preferência. Estudantes brasileiros devem cursar mais um ano de preparo (Foundation Year), totalizando 4 anos.

Postgraduate courses (especialização)

Com duração média de 4 a 7 meses, existem dois tipos de especialização, ambos sem exigência de dissertação ou monografia:

  • Postgraduate Certificate: similar a um curso de extensão no Brasil, tem 60 créditos e dura em média 4 meses
  • Postgraduate Diploma: equivale à especialização lato sensu no Brasil e tem duração média de 7 meses
  • MBA (Master of Business Administration): dura 2 anos e destina-se a profissionais com, no mínimo, 8 anos de experiência gerencial comprovada. Baseado na discussão de cases, o programa é ministrado por professores que estão no mercado de trabalho e ensinam finanças, marketing e recursos humanos, entre outras disciplinas.

Masters (mestrados)

  • Taught Masters: com 180 créditos divididos entre matérias obrigatórias e eletivas, tem duração de 1 ano, incluindo o tempo para elaborar a dissertação. O objetivo do curso é formar um especialista, o que melhora sua empregabilidade e impulsiona a carreira.
  • Research Masters: com viés mais acadêmico, geralmente prepara o estudante para o doutorado/PhD. Sua duração varia de 18 a 36 meses. É possível fazer os estudos em meio período, sempre sob tutoria de um supervisor. O objetivo é desenvolver uma pesquisa e publicar artigos científicos.

Doctor of Philosophy (Ph.D.) (doutorado)

O curso de doutorado pode ser concluído entre 3 e 5 anos. Um orientador supervisiona a pesquisa do estudante, que apresenta sua tese ao final do trabalho e publica artigos sobre o seu estudo.

Short courses (cursos de curta duração)

Os short courses (cursos de curta duração) e summer courses (cursos de verão) duram de 3 semanas a 2 meses. Seus programas estão geralmente relacionados com a área principal da universidade ou a temas complementares. Por exemplo, se o foco da instituição é finanças e administração, há grandes chances de oferecer um summer course sobre marketing e inovação. Por isso, vale a pena procurar pelas universidades mais renomadas na área de interesse ou consultar rankings universitários internacionais como o Times Higher Education. Também merece uma visita o portal Short Courses, traz uma relação de programas curtos no Reino Unido e em outros países.

Cursos de inglês

Muitas universidades, principalmente aquelas que têm como foco as áreas de artes, línguas e humanidades, oferecem cursos de inglês com 2 semanas até alguns meses de duração. Muitos deles propõe um período (tarde ou manhã) intensivo de aprendizado em sala de aula e reservam o outro período do dia para atividades fora dela. É possível visitar lugares turísticos e culturais e aproveitar para conhecer a rotina de cidades britânicas, sua gastronomia e vida noturna. A imersão em língua inglesa pode servir para aprimorar o seu uso para propósitos profissionais ou acadêmicos e existem opções para todo tipo de necessidade do aluno. Há também cursos direcionados para quem busca o certificado IELTS, essencial para ingressar em uma graduação.

Links externos